09
set
2013

Um dia como outro qualquer

Um dia como outro qualquer

Achei este texto muito bonito, gostaria de compartilhar com vocês. Se conseguíssemos vivenciá-lo, com certeza triunfaríamos.E assim, depois de muito esperar, num dia como outro qualquer, decidi triunfar…

Decidi não esperar as oportunidades e sim, eu mesmo buscá-las.
Decidi ver cada problema como uma oportunidade de encontrar uma solução.
Decidi ver cada deserto como uma possibilidade de encontrar um oásis.
Decidi ver cada noite como um mistério a resolver.
Decidi ver cada dia como uma nova oportunidade de ser feliz.
Naquele dia descobri que meu único rival não era mais que minhas próprias limitações e que enfrentá-las era a única e melhor forma de as superar.
Naquele dia, descobri que eu não era o melhor e que talvez eu nunca tivesse sido.
Deixei de me importar com quem ganha ou perde.
Agora me importa simplesmente saber melhor o que fazer.
Aprendi que o difícil não é chegar lá em cima, e sim deixar de subir.
Aprendi que o melhor triunfo é poder chamar alguém de”amigo”.
Descobri que o amor é mais que um simples estado de enamoramento, “o amor é uma filosofia de vida”.
Naquele dia, deixei de ser um reflexo dos meus escassos triunfos passados e passei a ser uma tênue luz no presente.
Aprendi que de nada serve ser luz se não iluminar o caminho dos demais.
Naquele dia, decidi trocar tantas coisas…
Naquele dia, aprendi que os sonhos existem para tornar-se realidade.
E desde aquele dia já não durmo para descansar… simplesmente durmo para sonhar.

Walt Disney

Angela Maria Bortolucci
Coordenadora de Jaú/SP



05
set
2013

O peso que a gente leva…

O peso que a gente leva…

Olho ao meu redor e descubro que as coisas que quero levar não podem ser levadas. Excedem aos tamanhos permitidos. Já imaginou chegar ao aeroporto carregando o colchão para ser despachado?

As perguntas são muitas… E se eu tiver vontade de ouvir aquela música? E o filme que costumo ver de vez em quando, como se fosse a primeira vez?

E então descubro o motivo que levou o poeta cantar: “Bom é partir. Bom mesmo é poder voltar!” Ele tinha razão. A partida nos abre os olhos para o que deixamos. À distância nos permite mensurar os espaços deixados. Por isso, partidas e chegadas são instrumentos que nos indicam quem somos, o que amamos e o que é essencial para que a gente continue sendo. Ao ver o mundo que não é meu, me reencontro com desejo de amar ainda mais o meu território. É consequência natural que faz o coração querer voltar ao ponto inicial, ao lugar onde tudo começou.

Jogo o que posso no espaço delimitado para minha partida e vou. Vez em quando me recordo de alguma coisa esquecida, ou então, inevitavelmente concluo que mais da metade do que levei não me serviu pra nada.

É nessa hora que descubro que partir é experiência inevitável de sofrer ausências. E nisso mora o encanto da viagem. Viajar é descobrir o mundo que não temos. É o tempo de sofrer a ausência que nos ajuda a mensurar o valor do mundo que nos pertence.
Vida e viagens seguem as mesmas regras. Os excessos nos pesam e nos retiram a vontade de viver. Por isso é tão necessário partir. Sair na direção das realidades que nos ausentam. Lugares e pessoas que não pertencem ao contexto de nossas lamúrias… Hospitais, asilos, internatos…

Ver o sofrimento de perto, tocar na ferida que não dói na nossa carne, mas que de alguma maneira pode nos humanizar.

Andar na direção do outro é também fazer uma viagem. Mas não leve muita coisa. Não tenha medo das ausências que sentirá. Ao adentrar o território alheio, quem sabe assim os seus olhos se abram para enxergar de um jeito novo o território que é seu. Não leve os seus pesos. Eles não lhe permitirão encontrar o outro. Viaje leve, leve, bem leve. Mas se leve.

 

Elizane Rodegheiro Oliveira
Secretária do Bem de Pelotas/RS 



04
set
2013

Salud a carcajadas

Salud a carcajadas

 

 Estuve pensando y divagando todo el día sobre que escribir, y en internet encontré un cuadro que me gustaría compartirlo que muestra los beneficios de reír a carcajadas… Relájese…. respire profundo… yyyyy recuerde algo MUUY gracioso o tonto que haya pasado y SONRIAA!!! Que siempre vale la pena!!

Tengan un excelente día :D

 

 



03
set
2013

O Novo

por Marília Martins
(coordenadora voluntária de Guarulhos/SP)

 

O prazer de vestir uma roupa pela primeira vez. O aperto delicioso daquele sapato que você tanto desejava. O cheirinho do carro que acabou de sair da concessionária. O primeiro dia daquele curso que você tanto sonhava em fazer e até o barulhinho daquela caneta de alta rotação novinha que a dental (Cremer) acabou de entregar… Tudo o que é NOVO é mais gostoso, tem um sabor especial. E o novo dá um up, um“gás” diferente na gente. Somos assim em tudo, do namorado ao consultório… A novidade nos faz mais interessados!!!

E a novidade também é bem interessante. Estou abismada (e mega feliz) com as novidades que essa última mini-capacitação trouxe para a Turma do Bem. A galera “chegou chegando”, com um pique delicioso. Chegaram apaixonados pelo projeto, com gás, sede de fazer muito, vontade de mudar o mundo…. Parece que foram contaminados pelo bichinho da TdB logo no primeiro dia. Tive o imenso prazer de participar dos outros dois jantares de capacitação (morar perto da ONG tem suas vantagens…. Hehehe) e nenhum teve a “vibe” do último jantar. Os coordenadores novos entraram na dança, literalmente… Misturaram-se aos velhos e caíram na pista. Foi bem parecida com as festas do Sorriso do Bem.  Nem pareciam “novos”, se sentiram em casa. Mas o mais delicioso foi ver o brilho nos olhos de cada um deles; aquele brilho que só quem é apaixonado tem; brilho este que só vemos nos “loucos da TdB”, aqueles que fazem pelos jovens, para os jovens e nada mais.

Novidade também no esquema de capacitação: o apadrinhamento. Essa “minicap” foi um projeto piloto, sugestionado por alguns coordenadores, no qual os “velhos” seriam padrinhos dos coordenadores “novos”. E eu tive o prazer de ser uma das Madrinhas. Genteeeeee, que delícia!!!! Eu, que AMO ser madrinha do meu Lucas (para quem não sabe…. sou madrinha da criança mais linda de todo esse Universo. Lucas, a Dinda te ama!!! #momentocoruja) agora tenho mais 5 Afilhadas…. e as meninas chegaram com uma vontade de ajudar, lindo de ver!!! Já marcaram as triagens, querem fazer outras, me chamam no inbox…. delíciaaaa! E o melhor de tudo, me deram um gás para agitar o projeto no meu município, afinal preciso ser um bom exemplo (pelo menos nisso!!! Rs). E não são só as “minhas meninas”; o grupo do Face está bombando de rostinhos novos empolgados com suas triagens, suas novas conquistas… E os novos “nãos” também (faz parte).

Novas ideias, novos coordenadores, novos sorrisos… Mais jovens, mais dentistas voluntários!!!! E assim a rede cresce, a roda gira, a Turma do Bem de multiplica… Assim o AMOR PELO TRABALHO QUE FAZEMOS, AUMENTA!!!!

Que esses coordenadores que estão chegando e se apaixonaram pelo projeto, transformem tudo isso em AMOR… AMOR pelo sorriso de um jovem que não teria condições de pagar por um tratamento odontológico. E só para constar: o abraço desses jovens é um dos mais sinceros desse mundo…. acreditem!!!

Aos novos coordenadores, sejam MUITO bem vindos!!!