27
ago
2014

melhores dentistas do mundo em lisboa

IMG_8808

A Turma do Bem Portugal recebeu em Lisboa a visita dos 10 Melhores Dentistas do Mundo, voluntários que mais se destacaram naquela que é a maior rede de voluntariado especializado do mundo, presente em 12 países.

Entre a comitiva estava Nícia Paranhos Arruda, distinguida pela Turma do Bem com o título de Melhor Dentista do Mundo em 2013. Esta visita à sede da Turma do Bem em Lisboa teve como objetivo a divulgação do projeto em Portugal e a troca de experiências com coordenadores portugueses. Os 10 Melhores Dentistas do Mundo visitaram o Museu da Eletricidade e Fundação EDP, cofundadora do projeto em Portugal, onde foram recebidos por Margarida Pinto Correia, diretora de Inovação Social. A comitiva foi ainda recebida na Embaixada do Brasil para um encontro com Mário Vilalva, embaixador do Brasil em Portugal.

IMG_8988

Presente em Portugal há quatro anos, a rede de voluntários lusos conta já com 530 médicos dentistas que ao longo deste período já conseguiram resgatar o sorriso a mais de 1400 jovens.



18
ago
2014

Relatório Anual



13
ago
2014

Portugal

por Nícia Paranhos Arruda, dentista do bem de Barra Bonita e Igaraçu do Tietê/SP

 

Quem acompanha o grupo da Turma do Bem no Facebook sabe: na semana passada eu estive em Portugal, um “mimo” da TdB e da Fundação EDP para 10 dentistas que mais resultados trouxeram para o projeto, e não aqueles que fazem a melhor restauração (Lembram desse texto, não é? Rs).

Ao contrário do que se possa pensar, nem tudo foi diversão. Claro que aproveitamos para conhecer a “terrinha” – andamos pelas ruas de Lisboa, passeamos de Tuk Tuk, fomos ao Palácio de Queluz, Fátima, Cascais… Entretanto, a parte mais importante da viagem foi o trabalho.

Fizemos door to door para cadastrar novos voluntários, triagens para selecionar novos jovens, visitamos o embaixador brasileiro em Lisboa. E eu, como porta voz do grupo, tive algumas tarefas extras: as entrevistas para a imprensa portuguesa. E foi numa delas que eu entendi o tamanho do projeto Dentista do Bem.

Fui com o pessoal do escritório de Portugal a um programa de rádio da rede Record. E que emoção incrível… imaginem vocês, eu lá, ouvindo elogios para a TdB e agradecimentos de ouvintes com palavras simples, mas sinceras, à presença do nosso projeto em Portugal. Daí você tem a dimensão de tudo… Aproveitei o alcance da rádio para apelar aos dentistas de Portugal, no sentido de aderirem ao projeto para que os “miúdos” de lá tenham maior acesso à saúde bocal.

Espero que todos tenham a oportunidade de vivenciar essa experiência.



11
ago
2014

José, João, Salomão e outros…

por Luiz Roberto Scott, dentista do bem de São Paulo/SP

 

É conhecida a história de Salomão que, perante duas mulheres que se diziam mãe da mesma criança, pediu a espada para dividir a criança e satisfazer as duas. Então, uma delas disse: “Se for assim, pode deixar com ela!” E Salomão mandou lhe entregar a criança. A justificativa: só o amor de mãe se absteria da presença da criança em favor de sua vida. Mas, e se a “falsa” mãe estivesse arrependida frente à consequência da mentira? Será que Salomão foi realmente justo? Será que a justiça foi feita de verdade?

A justiça é uma das convenções sociais mais complexas de se estabelecer. Claro que, para os crimes existe o Código Penal. Há também a Constituição e as inumeráveis legislações específicas: O código de trânsito, o código de ética, o estatuto da criança… Mas a justiça não pode ser reduzida ao mundo das leis. Ela deve transcender o Direito, como o entendemos – a tríade juiz, acusação e defesa… E deve se referir, no final, àquilo que é justo – ou não.

Partindo desse pressuposto, faço algumas provocações: O nosso cotidiano é justo? Se a resposta for não, como fazer para que isso aconteça? Como precisar o que é justo ou não? E, mais complicado ainda, como garantir que todo mundo tenha acesso a uma mesma Justiça (com “J” maiúsculo, mesmo)?

Um mundo de oportunidades e menos desigualdades é o sonho da maioria. Porém, nem todos estão aptos, física ou mentalmente, para as mesmas oportunidades. Pensar em Justiça pela equivalência é desprezar as habilidades e peculiaridades das pessoas. Pela diferenciação, é marginalizar uns e beneficiar outros.

Um exemplo: Se José consegue fazer uma limonada com apenas um limão e João precisa de dois limões para conseguir a mesma limonada, Justiça, pela ótica da limonada (consequência; resultado) seria que João tivesse dois limões e José tivesse um… mas, se olhada pelo lado do limoeiro (oportunidade), Justiça seria um para cada… e Francisco também poderia ter um. Qual dos pontos de vista é o mais correto? Difícil escolher…

Agora, um fato é inegável: o mais justo seria que João aprendesse a fazer limonada como José… assim, os dois teriam o mesmo resultado. E, apesar de não podermos desconsiderar o fato de que não basta criar oportunidades, é preciso estar apto a reconhecer e aproveitá-las, no final das contas, a Justiça é isso: a busca constante pelo que é mais justo. Ao chegarmos a esse denominador, encontramos, também, um jeito mais humano de viver em sociedade… de coexistirmos em grupo… de sermos tratados igualmente, ao mesmo tempo em que nossas diferenças são respeitadas. Justo, não?



06
ago
2014

Vouchers entregues…

por Marília Martins, dentista do bem de Guarulhos/SP

 

Sim, gente… estou megaempolgada e falarei demais sobre o Sorriso do Bem nos próximos posts. A energia aqui na TdB está tão boa que quero contagiar todos que estão mais distantes.

Primeiro um pouco de geografia. São Bento do Sapucaí é uma cidade pacata e bucólica, que tem todos os atributos de uma cidadezinha do interior: igreja matriz, praça com coreto, pessoas hospitaleiras e uma culinária INCRÍVEL, influenciada pela cozinha mineira. Por sinal, estaremos na divisa entre SP e MG, a 185 quilômetros de São Paulo. Em novembro, época do evento, a temperatura varia entre 14° e 25° (mas, eu garanto: no que depender da TdB, a sensação térmica será BEM maior).

O Sorriso do Bem funcionará mais ou menos como uma FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), onde a cidade inteira se envolve no evento. No nosso caso, São Bento está megaengajada no evento (motivo suficiente para a equipe da TdB surtar no quesito criatividade). Quase todos os hotéis e pousadas, restaurantes, salões de cabeleireiros (e o único PUB da cidade) são “nossos”.

Diferente dos outros anos, quando ficávamos todos concentrados no mesmo hotel, desta vez estaremos divididos por turmas: velhos coordenadores, novos coordenadores, estudantes do bem e dentistas da rede. Teremos palestras nos hotéis e no centro da cidade, o que envolve deslocamento, agitação e atrasos também; por isso precisaremos de muita disciplina nos horários.

E por falar em dicas: Silvia Barella, Daiz India e time das mulheres que não saem do salto (me incluo nesse time), vamos esquecê-los, tá?! Salto alto só na noite de gala. Tênis e sapatilhas serão nossos melhores amigos. Andaremos bastante pela cidade e as ruas são quase todas de paralelepípedo. Dá pra imaginar?

Se você ainda não recebeu o contrato para o Sorriso do Bem, dê uma olhadinha na sua lixeira, ele pode ter entrado como spam. Se mesmo assim o contrato não estiver lá, AINDA DÁ TEMPOOOO! Faça triagens, agite os Amigos da Turma, MEXA-SE! Quero te ver no Sorriso do Bem… :D

Falta muito para novembro?!



05
ago
2014

Sorriso do Bem 2014

A contagem regressiva para o Sorriso do Bem 2014 começa agora!

O evento acontecerá de 06 a 09 de novembro, em São Bento do Sapucaí/SP (clique aqui). E os coordenadores regionais e dentistas do bem já podem se preparar.

Para participar da capacitação e concorrer no evento de premiação do Melhor Dentista do Mundo, que acontecerá no dia 08 de novembro, com transmissão ao vivo pelo site da TdB, os voluntários devem preencher o Relatório Anual de Atividades e estar cientes do Regulamento do Sorriso do Bem deste ano.

Todos os documentos estão disponíveis para download aqui.

Mãos à obra e boa sorte!

 

Manual do tutor Regulamento da premiação

Manual do tutor Relatório Anual de Atividades – Coordenador

Manual do tutor Relatório Anual de Atividades – Dentista do Bem

 



04
ago
2014

Kit de higiene bucal já!

por Walter da Silva Jr., dentista do bem de Bauru/SP

 

O Brasil é um país de desdentados. Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: SB Brasil 2010, 13,7% dos jovens com idade entre 15 e 19 anos necessitam de prótese dentária, assim como 68,8% dos adultos com idade entre 35 e 44 anos e 92,7% dos idosos com idade entre 65 e 74 anos. Para agravar o quadro, o acesso da população ao kit dental (escova, pasta e fio dental, únicas ferramentas que previnem os problemas bucais) é problemático. Segundo o estudo SB Brasil de 2003, 45% dos brasileiros, ou seja, 86 milhões de pessoas, não possuíam acesso regular a escova de dente. De lá pra cá, o governo se gaba de ter distribuído 72 milhões de kits dentais – um déficit enorme, que piora ao lembrarmos que eles deveriam ser redistribuídos a cada três meses.

Por isso, a TdB vem se mexendo para ir além do trabalho curativo desenvolvido pelos dentistas do bem. Afinal, apesar de transformar a realidade de dos quase 48 mil beneficiários, os atendimentos promovidos pelo projeto não resolvem, nem de longe, o problema da saúde bucal do Brasil. O que são dezenas de milhares perto dos milhões desassistidos pelo poder público?

Nesse sentido, a luta para que as prefeituras distribuam gratuitamente o kit de higiene bucal é uma arma poderosa. A ideia é fantástica e, em longo prazo, reduzirá consideravelmente a demanda por tratamentos odontológicos. (Porém, como sempre, o dinheiro público é mal gerido. Daí, faltam recursos nas ações preventivas. Com isso, os problemas bucais se agravam… e o governo não dá conta de resolvê-los).

Mesmo assim, muita coisa já foi feita. Ao todo, em oito cidades um ou mais projetos de distribuição de kit dental já estão em execução – o que garante um impacto direto em mais de 200 mil pessoas. Além disso, em dezenas de outras eles foram sancionados e estão aguardando entrar em execução.

Agora você pode se perguntar: “tá… mas como eu faço para a prefeitura distribuir escova, pasta e fio dental?”

Uma forma bacana é por meio de algum jornalista inquieto. Aquele tipo que está sempre cutucando. Aqui em Bauru, por exemplo, o jornalista Nelson Gonçalves (por sinal, assim como seu homônimo famoso também é cantor) nos procurou. Ele estava fazendo uma matéria ampla sobre a saúde bucal da cidade. Através dele, marcamos audiência com o prefeito e seus secretários. Estes se comprometeram a aumentar o número de kits para a distribuição nas escolas e levantar o número de usuários dos postos de saúde para viabilizar a compra e distribuição nesses locais.

Claro, essa não é a única forma. Você pode ir atrás de um vereador conhecido e apresentar a proposta (clique aqui para saber mais)… pode ir direto no prefeito… pode fazer barulho nas redes sociais… o importante é que a discussão comece… e para achar a melhor abordagem, a TdB tem uma equipe pronta para dar todo o suporte (entre em contato pelo e-mail pp@tdb.org.br ou no telefone 11 5084-7276).

Se todos nós pressionarmos os chefes de nossos municípios, em pouco tempo mudaremos a realidade daqueles 86 milhões sem acesso ao mínimo necessário para cuidar de seu sorriso! Por isso, vamos à luta: Kit de higiene bucal já!