29
jan
2015

TV TdB entrevista os candidatos à presidência do CROSP



19
jan
2015

Sebastião Salgado doa fotografia para a Turma do Bem

escola-focus-sebastiao-salgado

Foto: Divulgação

A Turma do Bem foi presenteada com uma peça original do fotógrafo Sebastião Salgado. A obra, uma fotografia de um gorila em uma floresta de Ruanda, na África, foi utilizada na exposição Gênesis, seu trabalho mais recente, e será vendida em uma casa de leilões. Toda a renda será revertida para os projetos da TdB.

Sebastiao-Salgado1

Autor: Sebastião Salgado
Tamanho: 1,1×1,6m

 

Sebastião Salgado *
Sebastião Salgado nasceu em 1944 em Aimorés, Minas Gerais. Formado em Economia, rendeu-se ao mundo da fotografia em 1973. Trabalhou extensivamente para a imprensa internacional ganhando reconhecimento e muitos prêmios por suas reportagens na África. Na década de 90, mergulhou junto com sua esposa, Lélia Wanick, num projeto de vida que foi o embrião da expedição fotográfica Gênesis: a recuperação de uma propriedade completamente degradada, que hoje é o Instituto Terra, instituição dedicada a constituir o ecossistema florestal da região do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. Salgado é também embaixador da Boa Vontade da UNICEF e membro honorário da Academia de Artes e Ciências dos EUA.

Gênesis *
Gênesis é um projeto fotográfico de longo prazo, focado na natureza. Sebastião Salgado cruzou o mundo, entre 2004 e 2012, visitando 32 regiões extremas, entre elas o Alasca, a Patagônia, a Etiópia e a Amazônia, para registrar em suas lentes imagens impactantes, a majestade e a fragilidade da natureza, assim como sua relação com o homem e os animais.

Viajando a pé, de ônibus, em pequenos barcos, aviões e até mesmo em balões, ele registrou desertos gigantes, terras geladas, icebergs, vulcões, selvas, cadeias de montanhas e animais em seu ambiente natural: dos pinguins, leões-marinhos e baleias do Antártico e do sul do Atlântico aos leopardos, gnus e elefantes da África. Na busca por comunidades primitivas, descobriu tribos com costumes ancestrais, com pouco ou nenhum contato com o mundo exterior, como as que vivem ainda “isoladas” nas selvas da Amazônia e da Nova Guiné.

* Site Projeto Gênesis