08
mar
2019

Conheça o programa Apolônias do Bem no Dia Internacional da Mulher

 

apolonias 0579 - 1

Sete anos já se passaram e o trabalho intenso do programa Apolônias do Bem continua a comover e a apontar para um quadro assustador sobre o Brasil. Criada em 2012, a iniciativa tem como objetivo, através de uma rede capacitada e bem orientada, atender gratuitamente mulheres que sofreram algum tipo de violência em diversos Estados do País, como São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Neste Dia Internacional da Mulher, os números são alarmantes: estamos em quinto lugar no ranking dos países mais violentos do mundo, e, segundo o Fórum de Segurança Pública, estima-se que 16 milhões de mulheres (o que corresponde a aproximadamente 27,3% das brasileiras) sofreram algum tipo de agressão em 2018. São 536 ocorrências por hora. E, deste grupo, 177 são espancadas.

Na época de criação do Apolônias do Bem, a OSCIP Turma do Bem já enxergava a dura realidade dessas mulheres, que até contavam com outros tipos de assistência, mas não a odontológica. Algo tão importante para quem teve a dentição afetada pelas agressões.

“O programa cuida da saúde bucal da mulher vítima de violência, ajuda a resgatar a auto-estima feminina e a criar novas perspectivas de vida. O atendimento é odontológico, mas o impacto social é muito maior”, afirma Dr. Fábio Bibancos, fundador e presidente voluntário da Turma do Bem. Mais de 1000 mulheres já foram atendidas. São priorizadas aquelas com problemas mais graves e as que sustentam a família e retomaram os estudos ou estão fazendo cursos de capacitação profissional. Os tratamentos são feitos através da nossa rede de dentistas voluntários e as beneficiárias também são acompanhadas por assistentes sociais.

O programa Apolônias do Bem é reconhecido pela Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres) e faz parte da UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres, campanha do Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Conheça mais sobre o projeto no link .





Comentários (0)


Deixe seu comentário