16
jul
2013

Finalmente o Orgulho de ser Brasileiro

Finalmente o Orgulho de ser Brasileiro

Tenho certeza que antes do meu texto, já devem ter sido publicados uns 200 textos falando sobre o assunto, mas nem ligo!

Vivemos um momento mágico! Único! Precioso!

O brasileiro cansou! Se lembrou da pátria em que vive! Tirou a bunda da cadeira e fez aquilo que deveria ter feito há muito tempo! DISSE NÃO!

Não à corrupção, não à falta de saúde e educação decentes, não à pouca vergonha feita no congresso e nas prefeituras do país, não à violência, não aos impostos injustos que nos atormentam, não à visão de que somos o país do futebol, carnaval e mulheres de bunda de fora.

Somos revolucionários! O nome de muitos de nós estará nos livros de história dos nossos filhos!

Fiquei orgulhoso ao ver a galera da TdB nas ruas! Na verdade, vocês nem precisariam ir as ruas! O protesto já é feito pela TdB há 10 anos! Cada criança atendida tem o mesmo impacto que o povo sair nas ruas e fazer políticos voltarem atrás nas suas decisões! A cada criança atendida, o pessoal que desvia verbas da saúde leva um tapa na cara! A cada criança atendida, o sentimento de esperança renasce!

O nosso protesto começou faz tempo e agora o povo está conosco na luta por um Brasil melhor!

A revolução está no começo galera! Bora pra rua mudar o cenário não só da política brasileira, mas da odontologia do Brasil! A TdB e o povo brasileiro já provaram que quando uma galera honesta e engajada se une, não tem quem segure!

VEM PRA RUA!

Thiago Gimenes
Coordenador de Votorantim/SP 



15
jul
2013

La Ilusión

La Ilusión

 
Colombia es un país que vive el futbol y por estos días su ilusión más grande es la clasificación al mundial de futbol Brasil 2014. Su primer mundial fue Chile 62 después Italia 90, Estados Unidos 94 y Francia 98, por lo tanto llevamos 3 mundiales sin asistir; no tenemos mucha trayectoria en los mundiales y teniendo en cuenta que este torneo se hace cada 4 años pues todo un país tiene la ilusión de volver a sufrir, a cantar, a gritar, a llorar en un nuevo campeonato mundial de futbol.

En el primer ciclo de eliminatorias para el mundial de Brasil no empezamos bien, muchos desaciertos con los técnicos y las formaciones de estos para el equipo, no se encontraba el camino era un desorden total. Pero desde hace un año las cosas cambiaron con el primer técnico extranjero que ha tenido nuestra selección de futbol, colombiano de corazón nos está mostrando un equipo diferente capaz de luchar por un cupo al mundial.

Ya se están viendo los resultados y otra vez el país sueña con la clasificación, volvió a tener fe y esperanza, es increíble como este campeonato une y hace vibrar a tantas personas de un país, prácticamente todo se paraliza; así sea en una tienda, en la casa o en el trabajo todos están pendientes de nuestros jugadores como Falcao, Teófilo, James y muchos más, como también de nuestro técnico extranjero.

Este mes de junio es de mucha alegría porque sumamos para la clasificación y vamos de segundos, todavía falta, pero vamos por buen camino. Porque Brasil 2014 nos espera!!!!!

Mónica  García Toro
Coordenadora de Bogotá/COL

 

 

 

 



15
jul
2013

Por trás de um sorriso

O que se esconde por trás de um sorriso?! Isto é o que Trident está propondo que os inscritos no projeto Estudante do Bem descubram.

Explico. A marca, em parceria com a TdB, está lançando o concurso de fotos – “Por trás de um sorriso”. Funcionará da seguinte maneira: para participar, o estudante do bem deve fazer uma fotografia de um jovem (ou de um grupo de jovens) com problemas odontológicos, com o objetivo de mostrar que, apesar disso, ainda existem motivos para que eles acreditem em um mundo melhor.

Todas as fotos deverão ser publicadas no grupo “Estudante do Bem” no Facebook, acompanhadas de uma breve descrição, com o mínimo de 300 e o máximo de 500 caracteres, e a hashtag #portrásdeumsorriso. Os participantes terão até o dia 15/08 para enviar suas fotos para o concurso.

Após isso, as 10 melhores fotos serão publicadas aqui no Abra a Boca, onde será aberta uma votação popular (via comentários).

Finalmente, no dia 23 de agosto, os 07 vencedores serão anunciados. E aí vem a melhor parte… O prêmio é, nada mais nada menos, que um par de convites para o Rock in Rio 2013.

Para participar, basta preencher o formulário de inscrição no concurso (clique aqui) e enviar para o email: estudantedobem@tdb.org.br.

Para ver o regulamento do concurso, clique aqui .

 



11
jul
2013

Um sonho que se sonha junto…

Um sonho que se sonha junto…

Este ano completo 25 anos de formada e sempre quis realizar um trabalho voluntário na minha profissão. Há cerca de um ano e meio esta oportunidade surgiu. Comecei em minha cidade a realizar este sonho!

Hoje vejo que os dentistas daqui provaram ser solidários e voluntários, pois abraçaram a causa junto comigo. E nossa rede cresceu tanto que Cachoeiro conquistou o terceiro melhor resultado do Projeto Dentista do Bem em 2012 e eu, quem diria me tornei Embaixadora da TdB!

E como dissemos lá em Roma, nesta vida se colhe o que se planta! Isto é a mais pura VERDADE! A TdB só tem me dado alegrias e conhecer esta turma, os 20 embaixadores, conviver com todos vocês por duas semanas foi um grande PRESENTE! Ainda mais quando o presente é uma grata SURPRESA! Ganhar de presente esta viagem da Oral B foi MARAVILHOSO! E o melhor ainda estava por vir: Pessoas especiais em lugares incríveis nos proporcionaram momentos inesquecíveis! Fizeram-nos crescer e melhorar como seres humanos, isto não tem preço!

Sempre digo que minha vida profissional e pessoal teve um marco decisivo em 2011, no Sorriso do Bem. A capacitação me devolveu a capacidade de sonhar com um mundo melhor! E esse sonho que se sonha junto com mais 14.999 malucos hoje é REAL!

Palavras muitas vezes se vão com o vento, mas este sentimento jamais sairá da minha mente e do meu coração!

Obrigada, muito obrigada por vocês, cada um de vocês, Turma do Bem fazerem parte da minha história!

Rosemary Marqueti
Coordenadora de Cachoeiro de Itapemirim/SP



10
jul
2013

Delírios de Arlete: Capítulo 4

por Luiz Roberto Scott
(coordenador voluntário de São Paulo/SP)

 

Arlete chegara como de costume, meia hora antes de seu horário oficial de trabalho. Como gastava no trânsito de casa ao escritório uma hora e meia, em média, tinha que acordar com o dia ainda escuro e naquela noite dormira muito pouco.

Ontem, hoje e amanhã foi por onde perambulou a noite inteira, em sono leve que não conseguia descobrir se pensou ou sonhou. A única certeza é que estava exausta e isto era uma péssima maneira de começar um dia.

Sobre sua mesa de trabalho um bilhete: “Aguarde Dr. Campelo, antes de iniciar.” Um pouco desorientada com aquela quebra de rotina, desceu ao café do prédio da empresa. Estava cheio e agitado, pessoas de vários departamentos, amigos casuais, que discutiam animadamente a rodada de futebol e a novela da noite anterior. Entre um bom dia pra cá e um oi como vai pra lá, pediu um espresso e um pão de queijo. Enquanto os consumia elencava todas as diferenças que o seu café e seu pão de queijo teriam… o segredo de dona Epifania para esta receita era polvilho azedo na medida certa… que diferença!

Arlete chega de volta a sua mesa e aguarda pouco tempo até a chegada do Dr. Campello. Ele sempre foi um bom chefe, homem de poucas palavras, centrado em seu trabalho e na luta pelas metas da empresa. Nos últimos dez anos em que trabalharam juntos, ela acabara de descobrir que Dr. Campello nunca soube como era a sua vida… aliás corrigiu-se, nos últimos dez anos nem ela sabia como tinha sido sua vida… atribulada por rotina e compromissos, não tivera tempo para esta reflexão…

– Arlete, iniciou o Dr. Campello, a empresa passa por uma reestruturação de seus quadros e neste processo devo dizer que a Sra. foi transferida para o departamento de recursos humanos. Mas manterá os mesmos salários e benefícios que tinha. Gostaria que conhecesse também a Srta. Silvia que a partir de hoje ocupará o lugar de secretária. Entre outros atributos, Silvia é fluente em quatro idiomas, incluindo o chinês.

– Ah, sim… prazer, posso lhe passar todos os detalhes Silvia…

-Não será necessário, interrompeu Dr Campello, a Sra deve apresentar-se ao RH ainda pela manhã. Sugiro que recolha suas coisas pessoais e encaminhe-se para lá imediatamente…

Desnorteada Arlete levantou-se, despediu-se dos dois e estava a caminho de sua mesa quando foi interrompida…

– Sra. Arlete, ia me esquecendo de agradecer-lhe a dedicação e o bom desempenho nestes anos de trabalho, conte comigo para o que precisar, obrigado.

Ela apenas assentiu com os olhos e saiu.

Departamento de RH é no 3 ou 4o andar? Nossa quanta coisa juntei nestas gavetas , pensava ao encaixotar seus pertences… ateve-se a mais uma de suas anotações de canto de folha…” Não nos desfazemos de um vício atirando-o pela janela, é preciso fazê-lo descer as escadas degrau por degrau…” Mark Twain.

No elevador acionou o 3o andar. Desceria 12 andares, quase metade do edifício… não conseguia concatenar as ideias, era uma efervescência de imagens desorganizadas que lhe vinham à cabeça durante este curto trajeto… Inclusive Chinês!!! Surpreendeu- se com a rapidez da chegada ao 3o andar… E mais ainda ao abrir-se a porta do elevador… uma grande faixa… Bem vinda Arlete, nossa equipe agora esta completa!! Tania, Vera e Selma…

As três aguardavam -na logo no hall com flores, apresentaram -se e a conduziram ao seu novo local de trabalho…

– Acomode-se nesta mesa , sobre ela já tem algumas leituras que você deve fazer antes de iniciarmos… inclusive este manual de procedimentos… Leia com atenção, ao meio dia sairemos para o almoço de boas vindas e lá conversaremos com calma – orientou- lhe Tania, que era a chefe do RH.

A sala continha uma grande mesa oval no centro e nos quatro cantos mesas semi circulares que acomodavam as, agora, quatro mulheres. ( O RH refletia bem a empresa, mulheres nos quatro cantos…) Agora as flores ornamentavam sua mesa… Sentiu-se bem com a mudança, o ambiente lhe parecia muito agradável e tratou de decifrar e absorver os manuais de procedimentos e as orientações iniciais sobre a mesa.

Ainda surpresa com a mudança, mas não assustada, sentiu-se de fato acolhida pelas novas companheiras…

Aliás, flores… quando foi a última vez que recebera? Ah sim, coincidentemente de três mulheres, as enfermeiras da maternidade -quando Treivis nasceu… Há 13 anos!

Antes da saída para o almoço, Arlete subiu ao 15o andar, acessou as escadas e desceu por elas…

-Espero que Mark Twain esteja certo!



09
jul
2013

Pouco para sorrir

Pouco para sorrir

Atualmente o Brasil possui uma população de aproximadamente 197 milhões, sendo que 16,27 milhões vivem em situação de extrema pobreza. Este número representa 8,5 % da população, segundo o IBGE. Isso quer dizer que um em cada dez brasileiros vive com renda domiciliar igual a zero e 11,43 milhões possuem renda de R$ 1,00 até R$ 70,00, dados agravados pelo fato de que no Brasil o custo médio de uma cesta básica é por volta de R$ 70,00 a R$100,00. Por conta dessas condições, os produtos de higiene bucal como a escova, creme e fio dental acabam ficando exclusos do orçamento familiar.

Muitas pessoas possuem na memória infantil a figura de um ser de branco visitando nossa escola com palestras, vídeos informativos, instruções de escovação e técnicas da correta utilização do fio dental. Entretanto, nem todas crianças possuem acesso a este primeiro contato com a odontologia. Nas de famílias pobres o contato com a odontologia, muitas vezes, vem de modo tardio, quando a saúde bucal já está comprometida. Há casos em que são tomadas medidas extremas como a extração de todos os dentes da cavidade oral. Uma pessoa desdentada é um individuo com baixa autoestima, e com problemas emocionais e fisiológicos.

Nós como alunos de Odontologia estamos certos de que o caminho seguro para mudar essa realidade é uma maior atenção e planejamento dos órgãos públicos, como a distribuição (feita com equidade) de um kit básico de higiene bucal. Dessa maneira, teríamos um programa odontológico mais acessível a todos, que atuaria então, efetivamente, na prevenção, promoção, qualidade e bem estar social.

Jéssika Peres
Gabriella Curtulo
Raquel Dolfini
Natalia Carvalho
Thaysa Munhoz
Alunas do 1° ano de Odontologia (FHO – Uniararas)



08
jul
2013

Emoções

Emoções

O que dizer, sobre o que falar. É muito difícil pensar em alguma coisa para escrever, quando em minha cabeça, só
vem ainda as imagens da nossa viagem. Vivenciamos tantas emoções, que com certeza levará algum tempo para tudo se tornar apenas lembranças.

Compromissos oficiais, lindos passeios, jantares deliciosos, muitas risadas com amigos que durante onze dias foram nossa família, e para encerrar, a grande emoção do encontro com o Papa Francisco.

Quando achávamos que não teríamos mais emoções, eis que surgem as mensagens de nossas famílias, e recebo estas palavras: “A maior recompensa pela dedicação a esta causa não é, nem mesmo o espontâneo agradecimento de uma criança atendida, mas a satisfação interior pela realização de nossos próprios objetivos.”

Com certeza como voluntários, a recompensa que recebemos é muito maior do que o pouco que doamos. A alegria que sentimos é tamanha, que contagia e preenche nosso coração.

Angela Maria Bortolucci
Coordenadora de Jaú/SP

 

 



04
jul
2013

Acorda Brasil!

por Walter da Silva Jr.
(coordenador voluntário de Bauru/SP)

 

Me lembro ter participado de uma manifestação na época da faculdade. Já nem me recordo mais qual era a reivindicação. Sentia que deveria estar lá mas sem muita convicção. Tinha 18 ou 19 anos.

O que tem acontecido mais recentemente me chama a atenção por algumas diferenças: as pessoas, independentemente da idade estão mais cientes do que querem, há um objetivo comum entre todos e mostra claramente que o brasileiro deixou as discussões sobre seu time de futebol ou a seleção para segundo plano (ufa, já era tempo!).

Aqui em minha cidade, a mobilização foi contundente e sem violência. As pessoas clamavam por tarifa menor, melhora no transporte público e mais transparência do poder público.

Fizemos cartazes, gritamos “vem pra rua, vem”, palavras de ordem e seguimos o trajeto decidido por todos. De repente um tumulto me chamou atenção. Devido à grande concentração de pessoas achei se tratar de um furto pois um jovem estava sendo retirado por 2 adultos. Quando passaram por mim, notei que eram os pais desse jovem o retirando da passeata. Ele tentava argumentar mas os pais estavam irredutíveis. Receberam muita, mas muita vaia por essa atitude. Fiquei vendo, estático, a cena e imaginando o porquê disso tudo. A importância da mobilização perante os filhos é uma das coisas mais interessantes disso tudo, no meu ponto de vista. A demonstração da força de união, da insatisfação e mudança de valores é essencial na formação desse jovens.

Somos um país com uma cultura de corrupção desde seu descobrimento. A ideia de “levar vantagem” era até explorada por uma marca de cigarro na década de 70, lembram? A frase “só pra inglês ver” foi cunhada na época do Brasil colônia. A Inglaterra havia proibido o tráfico de escravos em concordância com Portugal. Só que internamente, as coisas aconteciam normalmente.Baseado nisso, o pensamento deve ser mudado. E vejo nos mais novos que isso não está distante. Nossos exemplos irão ratificar essa ação.

Outro fato interessante aconteceu em nossa rede de voluntários. Em dois dias zeramos 18 vagas em aberto depois de disparar email para a rede. Isso é a demonstração de que os protestos são imprescindíveis para mudanças mas que devemos continuar fazendo nossa parte. Esse é o exemplo mais marcante que vemos na Turma do Bem.



03
jul
2013

Sim, sem título

por Marília Martins
(coordenadora voluntária de Guarulhos/SP)

 

* 1,1 bilhão de euros ou 2,8 bilhões de reais gastos com a Copa do Mundo de 2014.
** Até esse texto ir ao ar, provavelmente teremos pagado a “pequena” quantia de 711 bilhões de reais em impostos neste ano. (sim, só em 2013).
*** O Calheiros é presidente do Senado; PEC 37 em pauta de votação e Feliciano… Bom, me recuso a falar dele novamente.
**** “Anjos” de 13, 14, 15, 16 anos… matam, assaltam, estupram e são libertados logo depois.
***** Alunos no sétimo ano do ensino fundamental que não sabem ler e escrever (o coordenador que nunca viu isso nas triagens manifeste-se, por favor!!!).
****** 94 deputados estaduais (só em SP) custando quase 100 mil reais por mês. 513 deputados federais com até 78 mil mensais para verba de gabinete. Fora salários e outros benefícios “ridiculamente ridículos”.
******* O Kit básico de higiene bucal não foi aprovado em diversas cidades, como a que eu represento; por pura burocracia, falta de interesse ou falta de verba (hein???).

É… precisamos ser mais utópicos, né Armandinho?!?!

PS: Ajudinha mais que especial dos fofos: Fernando Simonini, Jean Bussaglia e Luciana Bason!!!!

 



02
jul
2013

Facilitando as coisas…

por José Henrique Sironi
(coordenador voluntário de Laranjeiras do Sul/PR)

 

É impressionante como gostamos de reclamar das coisas antes mesmo de analisarmos com atenção a situação. Muitas vezes já temos uma opinião formada e simplesmente rejeitamos uma ideia diferente. Pronto… (sem saber na verdade o que rejeitamos)

Quantas vezes sua boa proposta foi morta no ninho?

Você chega todo empolgado com uma super ideia, um projeto pronto, bastando apenas uma aprovação e a resposta, com voz arrastada, é: Não…não vai dar… mas deixe aí pra eu dar uma olhada depois.

Tenho certeza que muitos de nós passamos por esta experiência quando fomos propor o Kit de Saúde Bucal para nossos gestores e governantes. Sequer deram uma atenção mínima à proposta… apenas rejeitaram, sem entender a dinâmica .

Mas, pasmem, o motivo real da falta de interesse na implantação do Kit, na maioria das vezes, não é o custo do programa em si, mas sim o fato de não terem a noção de qual será este custo.

Enquanto eu não apresentei um preço estimado do tal kit, minha prefeitura não demonstrou interesse, mas bastou eu me ligar nesse detalhe e chegar com um número que tudo magicamente mudou.

Amigo coordenador, a proposta do kit é extremamente coerente com a visão da Estratégia Saúde da Família. Prevenção é a palavra chave da saúde pública, portanto facilite as coisas para seus gestores:

1- Apresente o valor de um kit de saúde bucal.

Na última licitação que participei ficou:

Escova dental…………………R$ 0,35
Fio dental de 50m …………..R$ 0,90
Creme dental com flúor……R$ 1,90

2- Faça um levantamento junto a Secretaria de Ação Social de sua cidade (ou qual seja o nome da secretaria) e pergunte quantas famílias recebem o Bolsa Família. Isso vai dar pra você uma ideia de quantos kits deverão ser distribuídos;

3- Explique para o gestor que não serão todas as famílias que realmente necessitam ser beneficiadas pelo programa. Os próprios Agentes Comunitários de Saúde podem indicar quais famílias necessitam, em um primeiro momento;

4- Deixe claro que pode existir um controle de entrega e que uma escova boa, bem como um rolo de fio dental,tem uma durabilidade razoável;

5- Se for entregue na farmácia básica, os itens podem ser separados e distribuídos conforme a procura ou através de solicitação;

6- Enfim, entregue tudo mastigado e repito: dê ênfase ao custo estimado.

Se este sistema não funcionar, não desanime… corra atrás de um vereador que tope entrar com um projeto de lei o qual obriga o Poder Executivo a disponibilizar este Kit. (se você conseguiu a assinatura do prefeito, ainda quando este era candidato, naquele termo de compromisso público, acredito que se torne ainda mais fácil, pois tenho certeza que a TdB saberá cobrar a aprovação, mesmo que forçada, da implantação do Kit.)