A Gentileza da Solidariedade

“A gentileza evidencia o eco de um cântico de uma alma em paz, enquanto
a grosseria evidencia o estrondo de uma alma em perturbação” Frei Carlos

 

Quando me propus a abordar este tema, não me referia à gentileza da hipocrisia social, mas sim à gentileza da solidariedade, que é o verniz de nossa alma.

Quando ligamos para alguém para sabermos como está, quando nos preocupamos com o outro, falamos “bom dia”, “boa noite” e tantas outras gentilezas que podemos praticar no nosso dia a dia, não deixando que as pressões exteriores influenciem nossas atitudes, com certeza estaremos construindo seres humanos melhores.

Imaginem como marcamos, positivamente, os corações das pessoas com um sorriso, com um gesto amável. Pensem como a gentileza muda e transforma vidas, com um simples gesto de solidariedade.

Vou contar um fato real que aconteceu com um professor de medicina da USP. Sabem aqueles professores temidos, carrascos, que nas provas faziam todos tremer, extremamente exigentes, mas muito sábios também? Claro que sabem, todos nós, ou a grande maioria já teve um desses, e, tenho certeza, nunca se esqueceu dele. Bem, esse professor, no final do semestre, com muitos alunos na corda bamba, chegou à sala para aplicar sua última prova do semestre, imaginem como estavam os alunos… Ao entrar na sala, todos os alunos apavorados, ele disse “ Nossa prova hoje terá uma só pergunta. Qual o nome da zeladora do andar?” Ninguém entendeu nada e ele repetiu “Qual o nome, só o primeiro, não precisa ser completo, da zeladora do andar?” Ninguém sabia responder! Ele então disse: “Como vocês querem ser médicos se não sabem nem quem está ali do lado limpando por onde vocês vão passar?”

Mostrou que não importa o seu nível social, cor, religião nem qualquer rótulo colocado pela sociedade, a gentileza e o mínimo de atenção com outras pessoas cabem em qualquer situação e com qualquer pessoa.

No livro “O Poder da Gentileza”, Rosana Braga coloca que, “em tudo e em todos os momentos, a GENTILEZA abre muito mais portas do que a GROSSERIA”.

Sejamos mais educados e gentis… pelo menos coloquemos isso em prática no nosso dia a dia. Jamais se esqueçam das palavrinhas mágicas, que sei muito bem, todos conhecem. Não vai nos custar nada e, muito pelo contrário, vai modificar o mundo a nossa volta.

Acredito que a gentileza e a educação transmitem a nobreza da alma. Temos necessidade de aprender, e um exercício básico é se colocar, em determinado momento de embate, no lugar do outro. “Como eu gostaria que fizessem comigo?”

Que tal começarmos a exercitar hoje? Com o tempo, essa atitude se integrará ao nosso ser.

Vamos juntos dar o primeiro passo?

Grande abraço fraternal em todos!

 

Adriana Papel Dib
Coordenadora e DENTISTA DO BEM de São Luís de Montes Belos/GO