por Luiz Roberto Scott
(coordenador voluntário de São Paulo/SP)

 

Naquela mesma noite Arlete sentou-se à frente de seu velho computador, que comprara numa promoção da empresa quando da renovação de todos os terminais de informática, cedendo aos funcionários as maquinas antigas a preços e condições irresistíveis. Com a internet lenta – Treivis queixava-se diariamente disto -, cobrira-se de paciência e iniciara a busca das informações sobre a tal da megatriagem, que Turma do Bem era aquela?

Aquela setinha girando na tela, enquanto aguardava a conexão, tinha um efeito quase hipnótico. Depois do trabalho, aula e daquela delícia no jantar…

Era um sábado chuvoso de 1998, Arlete e Jorge caminhavam na avenida Paulista em direção ao cine Gazeta. O cinema já fora luxuoso mas amargava dias difíceis. O relançamento que iriam assistir interessava aos dois. Embora polêmico, sempre despertou a atenção deles notícias de abdução. O filme Fogo no Céu (Fire in the Sky) tinha boas referências da crítica e era baseado em fatos reais. Mais uma razão que os levara lá, além do pouco tempo que tinham para desfrutar da companhia um do outro, nas raras folgas de Jorge. No hall, ao munirem-se de pipocas e frutellas, puderam ver o cartaz do filme da inauguração do cinema em 1966, “Ontem, hoje a amanhã”, com Marcelo Mastroianni e Sophia Loren estrelando, na época que homens trajavam terno e as mulheres, joias cujo brilho só não era mais intenso do que a porta de cristal do recém-finalizado salão de chá. Personagens ilustres ocupavam as 1.050 poltronas vermelhas e esperavam pelo abrir das cortinas, na cor ouro velho, pela primeira vez. O glamour se perdera mas o interesse pelos filmes não. As poltronas cheiravam 1966… Travis Walton, lenhador americano desaparece por cinco dias após deparar-se com uma estranha luz dentro da floresta. A trama do suspense se passa na discussão e investigação sobre a possível abdução de Travis por extra terrestres… suspense tenso, daqueles em que a pipoca acaba nos primeiros 20 minutos de filme e os olhos não desgrudam da tela… Saíram impressionados com o filme, e se fosse real? Que história !!

-Larga deste computador filha e vai descansar, tratamento totalmente gratuito? Só se eles forem de outro mundo!!! nheco !

Mas estava tudo ali em www.turmadobem.org.br

-Eles existem, mãe… Pode ser verdade sim…

Estava decidida, Treivis iria à megatriagem. Imprimiu a autorização, anexou o comprovante de residência e a ficha com os dados de Treivis (ah o cartório, como pode ter errado a grafia? lamentava-se…), tudo dentro de um grande envelope pardo, anotados endereço data e hora do evento. Treivis não poderia faltar….era uma grande chance. Fixara tudo junto, a folhinha atrás da porta da cozinha, lá era o follow up da família…

No banho lembrou-se da chuva que tomaram ainda na saída da sessão do gazeta. Riam e faziam planos, decidiram que teriam um filho chamado Travis…

Já na cama e envolta em cobertas e pensamentos, lamentou o desaparecimento de Jorge ao saber da notícia da gravidez… Dois anos mais tarde mandara uma carta oferecendo-se como uma Referência Masculina para a educação de Treivis…

– Não Jorge, não é DESSA referência masculina que ele vai precisar…