por José Henrique Sironi
(coordenador voluntário de Laranjeiras do Sul/PR)

 

Este texto é meio bagunçado. Em resumo: A falta de atitude me consome.

Não que eu queira estimular o amigo leitor a uma revolta nas ruas, mas tem dias que me pego pensando exatamente em como viabilizar tal atitude.

Procuro controlar meus pensamentos e me manter sensato, mas sinto que manter a sensatez me deixa ainda mais revoltado.

Se usar a razão, como admitir as barbaridades que presencio? Não é, portanto, mais cômodo assumir ser louco e cego que ser re/ativo a tudo?

Dia após dia somos bombardeados por acontecimentos que, se déssemos a atenção devida… meu Deus! Eu estaria internado, preso ou morto. Inconscientemente somos obrigados a fechar nossos olhos para o mundo. Somos condicionados a aceitar praticamente tudo. Nos conformarmos com a situação.

Conformar é: tomar a forma. Eu e você estamos nos deixando moldar por circunstâncias as quais sabemos que são erradas… e mesmo assim, passivamente, engolimos goela abaixo e ainda agradecemos. Diante de tais fatos, ou fazemos vista grossa e usufruímos do sossego tão esperado no final de semana, ou tomamos partido e arrumamos sarna pra coçar. Pra que tomar para si os problemas do próximo? Cada um cuida da sua vida… (meu sossego egoísta)

Quando um de nós resolve tomar uma atitude de justiça e reivindicar aquilo que é certo, em pouco tempo perdemos as forças, pois os espinhos não deixam a semente brotar. Acredito que, se hoje um grupo de pessoas saísse na rua, como aconteceu no impeachment, seriam chamados de loucos e a própria população iria desacreditar tal movimento. Hoje, revolta-me mais saber que não nos mobilizamos para exigir uma atitude contra a corrupção, do que a própria corrupção, por exemplo.

Noite dessas, passando de carro com minha esposa em frente a uma praça escura de minha cidade, vi uma menina de uns 13 anos na rua. Reconheci, pois foi minha paciente há mais ou menos 4 anos pela saúde pública. Ela estava se prostituindo. Gente, eu atendi aquela garota quando a mesma tinha seus 9 anos. Coloquei ionômero de vidro em um dente que há pouco deve ter trocado e agora ela está ali!
Ah… mas prostituição de adolescentes é normal! Todo lugar tem!

Meu Deus! Quando que uma adolescente se prostituindo é normal? Pode ser comum, mas nunca será normal. Nossos olhos estão tão acostumados a ver absurdos todos os dias que os trata como normal. Pense se você mesmo não está tratando como normal àquilo que é na verdade comum. Hoje, corrupção é comum, mas não é normal. Trair o cônjuge é comum, mas não é normal. Não ter leito de hospital é comum, mas não é normal.

Enquanto não soubermos diferenciar aquilo que é comum daquilo que é normal, pode ter a certeza de que continuaremos vivendo nossa vida tendo como maior objetivo o salário do final do mês. Grande aspiração!!!