O tempo e a jabuticaba

Todos nós achamos que nossos dias estão cada vez mais curtos. Parece até que aceleramos o mundo e às vezes não acreditamos que mais um dia, com todas as vinte e quatro horas, já se foi.

O desejo humano de dominar o tempo, de voltar ao passado ou viajar para o futuro já foi tema até mesmo de filmes de Hollywood. De certa forma, influenciamos muito esse acelerar das engrenagens do tempo.

Quando menino, eu adorava perambular pelo quintal de minha avó. Lá brincava muito, mas uma jabuticabeira sempre foi o centro da minha atenção.  A sombra inigualável e preciosa, a magia daquelas milhares de frutinhas exóticas recobrindo cada parte da imensa árvore era incrível.

Para quem não sabe, as jabuticabeiras são árvores nativas da mata atlântica brasileira, que demoram cerca de 12 a 15 anos para dar os primeiros frutos. Entretanto, a sagacidade humana e o desejo de aumentar a produção, criaram mudas híbridas, ou geneticamente modificadas que reduzem para 2 anos a primeira frutificação. Isso é fantástico, porém deixa claro nossa ansiedade em manipular e acelerar a roda do tempo.

Hoje, cultivo uma dessas espécies anãs em um vaso de médio porte, na varanda do meu apartamento. Observando as folhas e aguardando ansiosamente a florada e os frutos, confesso que tenho saudades do tempo, onde as árvores estavam no chão e a humanidade também tinha pelo menos um dos pés fincados lá.

Saboreie seu tempo e aproveite os frutos e a vida sem pressa!

Éric Jacomino Franco
Coordenador de Brasília/DF