Odontologia INVISÍVEL

Nos últimos meses tenho saído um pouco mais do meu mundinho fechado e perfeitinho para viver o dia a dia da Odontologia lá fora (serviço público ). E por isso, tenho compreendido o porquê de sermos tão desvalorizados e desrespeitados.

Sofro quando vou às escolas até hoje, com o pouco caso e as chacotas que os adolescentes fazem a nós, dentistas: “Vão arrancar meu dente! Não vou tá doido!” Ou: “Ah, é aplicação de flúor de novo?!”.

Somos invisíveis. O município construiu uma unidade de atendimento 24h, e o secretário não queria disponibilizar odontologia porque achava que não ia ter demanda. Oi? Acho que ele nunca teve dor de dente ou algum problema na boca!!

Do outro lado, alguns colegas deixam de atender crianças ou fazer cirurgias porque não gostam (?) ou não querem (?)… e não atendem gente que está sofrendo há dias…

Odontologia sem gestão, profissionais sem perfil no serviço público, categoria desmobilizada. Não somos motivo de orgulho para ninguém… não produzimos, não trabalhamos, não impactamos a comunidade com nossa profissão… nem mesmo sendo uma área tão primordial para saúde do ser humano. Aqui na minha terra temos uma endemia de cárie em 50% das crianças de 5 a 10 anos e mesmo assim continuamos desprivilegiados!!

Precisamos fazer com que a sociedade nos enxergue e que, acima de tudo, nós, os dentistas, queiramos nos ver em uma outra situação…a de VISIBILIDADE.

 

Daiz Nunes
Coordenadora e DENTISTA DO BEM de Macapá/AP