Te amo filha!

Este mês meu texto foi impulsionado pela emoção de ver minha filha completar 18 anos. Como nós mães, demoramos a nos dar conta que os filhos crescem…

Toda mulher que compartilha dessa experiência já se sente mãe desde o primeiro momento, aquele momento quando recebemos a notícia de que o milagre da vida se fez.
De imediato o corpo vai mudando, as emoções ficam mais evidentes, os sentimentos mais intensos, tudo muda como que num passe de mágica.

Depois nos alegramos com as primeiras descobertas, sofremos juntos quando alguma coisa dá errado, ficamos orgulhosas de participar das lutas perseverantes contra as dificuldades até chegar à vitória. Conseguimos provar que todos os erros, toda dor, toda perda, tudo vem a ser útil no final, tanto quanto o trabalho árduo, o aprendizado e o amor.

Num determinado momento, temos que soltar as mãos, mas guardamos as imagens daqueles dias especiais, os desenhos, os presentes, as cartinhas, as fotografias, como se pudéssemos nos agarrar a todos os “vocês” diferentes, o bebê, a criancinha, a menina, a adolescente… ficamos aguardando o futuro com o coração feliz, desejando descobertas maravilhosas, sucesso, alegria, paz e profundo contentamento. E sempre, sempre muito amor.

“Amor de mãe”, não existe amor maior, este sim é um amor verdadeiro! Amor dado livremente, sem esperar nada em troca. Amor pleno, completo, absoluto, generoso, infinito, que não impõe condições nem limites. Transforma o amor em uma ação praticada a todo instante, de várias formas.

Amor incondicional!

Ana Carolina Massaro
Coordenadora de Marília/SP