Tempo de mudar

As grandes cidades brasileiras têm sido marcadas por movimentos pendulares de crescimento econômico e estagnação, de incorporação e exclusão social. Mais grave que a urbanização desordenada ou a insuficiência de serviços públicos, a falta crescente de oportunidades de integração econômica da população metropolitana vem condenando os mais carentes ao exercício de profissões pauperizadas e de atividades precárias, dificultando, cada vez mais, a produção de políticas públicas voltadas à melhoria da condição de vida dos mais frágeis.

A heterogeneidade, a desigualdade e a fragmentação, marcas do tecido urbano brasileiro, se expressam também nas precárias condições de saúde e nos processos de adoecimento, bem como nas dificuldades e diferenças no acesso e consumo dos serviços de saúde. Superpopulação, pobreza, desemprego, exclusão, violência e criminalidade configuram um espectro ampliado de problemas de saúde, que desafiam os gestores e se impõem à reflexão, na busca de novas soluções.

A Odontologia, como profissão de saúde, possui um importante papel no processo de transformação das políticas de saúde pública no Brasil. Para exercer tal papel de forma efetiva, temos o desafio de superar alguns obstáculos que têm distorcido, através dos anos, a percepção da sociedade de sua real importância no ideal de integralidade da saúde a ser alcançado. Tais obstáculos deverão ser superados em todos os cenários nos quais se dá a prática profissional, com uma participação social cada vez mais efetiva para que, fundamentada em uma realidade regionalizada, as ações de saúde possam ser pensadas, articuladas e executadas de forma intersetorial, aproximando-se ao máximo dos ideais de universalidade, integralidade e equidade que alicerçam o Sistema Único de Saúde Brasileiro.

Juntos, poderemos mudar a triste realidade que acomete nosso país!!

 

Cleferson Ferreira
Coordenador de Recife/PE