16
jul
2014

#TeveCopa e #VaiTerUrna

por Walter da Silva Jr., dentista do bem de Bauru/SP

 

Uma dúvida: alguém conseguiu ficar imune à Copa do Mundo? Difícil, né… Ela esteve em todo lugar: da editoria de Esportes (ah, vá!) à editoria de Política… das mesas de bar às conversas com porteiros… e no Facebook, então? Uffa… Queiramos ou não, o fato é que #TeveCopa – e isso mexeu com todo mundo.

Nós, dentistas, por exemplo, simplesmente não conseguimos trabalhar em dia de jogo. Teve gente que optou por fechar a clínica e, em alguns casos mais extremos, dar férias coletivas aos funcionários (apesar de continuarmos com os mesmos gastos ou até mais… enfim).

A febre da Copa foi inevitável. Nós adoramos o futebol. Como não nos renderíamos ao maior evento do esporte? Inocente quem pensou que o #NãoVaiTerCopa resistiria ao apito inicial do jogo entre Brasil e Croácia. Ou quem achou que as manifestações chamariam mais atenção do que Messi e Cia. nos gramados brasileiros.

Mesmo assim, não podemos esquecer: 2014 não é apenas o ano da Copa do Brasil. Daqui pouco mais de três meses nós iremos às urnas. E todo mundo quer mudanças – incluo aqui os “escolhidos”, também chamados de elite, como perfeitamente elucidado no último texto do Scott (clique aqui). Saúde, educação, moradia e transportes funcionam mal. E isso não se resolve com espetáculo… com #CopadoMundo. São necessários novos rumos, ideias que funcionem, honestidade moral.

E para isso precisamos de unidade, foco, objetivo comum. O “eu sou brasileiro com muito orgulho, com muito amor” não pode ficar apenas nas arquibancadas. Ele precisa sair para o mundo. Precisamos virar um time. E, passo a passo, degrau a degrau chegaremos a nosso objetivo.

 

 





Comentários (0)


Deixe seu comentário